16 de setembro de 2014


Leve educação e
qualidade de vida para
quem tem alergia.
Recomende o site!
>> Clique Aqui

Tratamentos

Se você tem alergia, pode ser que às vezes se sinta limitado pela doença. Mas apesar de os sintomas serem inconvenientes, é possível mantê-los sob controle por meio de tratamento médico, permitindo que você participe de atividades que vinha deixando de lado por causa da alergia.

A chave para controlar as alergias é entender como elas o afetam e contar com um médico para indicar o melhor tratamento para você. Sejam suas alergias daquelas que aparecem apenas uma vez por ano, surgem de repente ou incomodam sempre, não importa, existe um tratamento indicado para controlar cada tipo de alergia.

Mas o tratamento depende também de sua colaboração. Enquanto o médico faz o diagnóstico e trata suas alergias, você deve aprender a controlar os seus sintomas no dia-a-dia. Para isso é preciso conversar com seu médico para aprender sobre suas alergias e o que pode ser feito para diminuir os sintomas.

Parceria com seu médico

Já que a maioria das alergias é de longa duração, é fundamental estabelecer um bom relacionamento com seu médico. Para diagnosticar e tratar corretamente suas alergias, é necessário identificar o que desencadeia seus sintomas e como você é afetado pela doença. Para ajudar, preste muita atenção aos seus sintomas e descubra como, onde e quando eles aparecem.

Se os seus sintomas forem diagnosticados como alérgicos, seu médico poderá recomendar que se afaste das substâncias que desencadeiam seus sintomas. Isso nem sempre é fácil, principalmente quando o problema é causado por ácaros da poeira ou polens, substâncias difíceis de evitar. Se você não tem certeza de como diminuir o contato com os desencadeantes de sua alergia, peça orientação ao seu médico.

Converse com ele também sobre seu plano de tratamento para garantir que seja compatível com seu estilo de vida. Não hesite em tirar dúvidas sobre como controlar seus sintomas e sobre os medicamentos prescritos para o seu tratamento.

Conheça seus remédios e saiba como usá-los

É muito provável que o médico receite remédios para manter os sintomas de suas alergias sob controle. É importante que você tome esses medicamentos exatamente do jeito como foram receitados e que pergunte ao seu médico qualquer coisa que não tenha entendido. Ao aprender como sua medicação funciona, como tomá-la e porque ela ajuda, você se torna mais ativo no seu tratamento.

Muito importante: Nunca deixe que outra pessoa troque a medicação receitada pelo seu médico, pois você poderá estar arriscando sua vida.

Ao receber a prescrição de um remédio para alergia, pode ser que você queira aprender um pouco mais sobre este ou outros medicamentos usados para tratar a doença. Existe um número muito grande de remédios para tratar as doenças alérgicas, mas nem todos podem ser adequados ao seu caso em particular. Somente o seu médico, ao acompanhar sua doença, pode indicar o melhor para você.

Pergunte a ele como o remédio funciona, quando começa a fazer efeito e se pode trazer efeitos colaterais. Isso vai ajudá-lo a saber o que esperar do seu tratamento.

Saiba exatamente como e quando tomar os seus remédios. Mesmo se você perceber que os sintomas estão controlados, continue a tomar os remédios do jeito que foram indicados, até que seu médico determine quando parar.

Alguns remédios para alergias podem levar alguns dias ou até mesmo semanas para fazer o seu efeito máximo. Portanto, não desista se não sentir alívio imediato. Se achar que o medicamento não está lhe ajudando ou se surgirem efeitos colaterais, converse com seu médico.

Avise seu médico se estiver tomando qualquer outra medicação, seja receitada ou não. Os medicamentos podem interagir, causando efeitos indesejados ou alterar o efeito um do outro.

Remédios para alergia

Afastar o contato com alérgenos é fundamental para controlar seus sintomas. No entanto, para muitas pessoas com alergias, o alívio dos sintomas pode requerer o uso de medicações. Embora as pessoas muitas vezes usem medicamentos comuns, sem prescrição médica, a melhor maneira de enfrentar a sua alergia é consultar um médico para determinar que tipo de medicação é mais conveniente para controlar o seu quadro clinico.

Uma vez que o médico tenha estabelecido um plano de tratamento para as suas alergias, é importante que você siga a prescrição exatamente. Se você não entendeu ou tem alguma dúvida sobre a forma de tomar a medicação, não hesite e contate seu médico.

Ao receber a prescrição de um remédio para alergia, pode ser que você queira aprender um pouco mais sobre este ou outros medicamentos usados para tratar a doença. Existe um número muito grande de remédios usados em doenças alérgicas: anti-histamínicos, descongestionantes, sprays nasais, corticosteróides, medicamentos tópicos, imunoterapia e, em alguns casos, adrenalina.

Anti-histamínicos e descongestionantes

Quando você entra em contato com algo a que você é alérgico seu organismo libera uma substância chamada histamina. Os anti-histamínicos são medicamentos que reduzem os sintomas bloqueando os efeitos da histamina. Eventualmente, seu médico poderá recomendar o uso de anti-histamínico antes da exposição a algum alérgeno, a fim de prevenir uma reação alérgica.

Anti-histamínicos são disponíveis em preparações puras e também em combinação com descongestionantes. Esta associação pode ajudar a aliviar a congestão nasal e a coriza. Se você pretende usar uma associação de anti-histamínico/descongestionante sempre consulte seu médico antes para ver se esta é a melhor opção para seu caso.

Certos anti-histamínicos podem provocar sonolência, interferindo na sua atividade normal. Os anti-histamínicos mais modernos têm menor possibilidade de provocar sedação e são usados uma vez ao dia. Peça a seu médico a orientação sobre qual anti-histamínico é mais adequado para você.

Corticosteróides sistêmicos

Os corticosteróides são usados no tratamento de numerosas condições clínicas, entre elas as doenças alérgicas. Os corticosteróides de uso clínico são compostos derivados de hormônios produzidos pela glândula supra-renal. Algumas modificações na estrutura química proporcionam o grande aumento da atividade antiinflamatória destes produtos. Existem preparações de corticosteróides para uso injetável e por via oral, em comprimidos ou em suspensão para uso infantil.

Os corticosteróides são muito utilizados porque apresentam notável atividade antiinflamatória. Esta ação é provocada pela alteração das quantidades relativas de células em circulação, assim como pela modificação da distribuição tecidual destas células. Simultaneamente, os corticosteróides atuam diminuindo a atividade de determinadas populações celulares que participam da resposta inflamatória.

Os corticosteróides sistêmicos podem ser indicados nas fases agudas de doenças alérgicas, como na asma, na rinite alérgica, nas urticárias e também nos eczemas atópico e de contato. Nesta circunstância faz-se uso por período limitado de tempo (alguns dias), o suficiente para controlar os sintomas mais intensos de uma agudização clínica. Nas rinites medicamentosas – quadro clínico induzido pelo hábito de pingar vasoconstritores no nariz – com freqüência é necessário empregar corticosteróides sistêmicos para permitir normalização dos reflexos nasais e o início da ação da medicação tópica adequada.

Existem vários tipos de corticosteróides disponíveis. Muitas vezes, em doenças alérgicas de maior repercussão é necessário fazer uso de corticosteróides por período de tempo prolongado. É natural que ao indicar este medicamento o médico especialista estará atento à relação entre risco e benefício para paciente e procurará utilizar produtos com menor possibilidade de provocar efeitos colaterais.

É comum observar pessoas com receio de usar corticosteróides. Na forma como estes compostos são indicados em doenças alérgicas este receio pode ser infundado. Os corticosteróides podem provocar numerosas alterações metabólicas. No entanto, os efeitos colaterais ou indesejados dos corticosteróides dependem da dose utilizada e da duração do tratamento.

Você pode verificar que o seu médico sempre procurará usar produtos com menor possibilidade de efeitos colaterais e na menor dose possível para obter o efeito clínico desejado.

A aplicação de corticosteróides injetáveis de efeito prolongado deve ser evitada, principalmente quando não se tem indicação ou supervisão médica. O uso de corticosteróides por via oral por poucos dias é seguro para o adulto e também para a criança. O risco ou a possibilidade de efeitos indesejáveis deve ser bem analisado quando existe necessidade freqüente de corticosteróides. Mais do que nunca, deve-se ressaltar a necessidade de indicação e acompanhamento médico, quando se faz uso de corticosteróides. Se você tem dúvida, pergunte ao seu médico ou procure um médico especialista para receber mais informação.

Spray nasal

Spray nasal pode ajudar a aliviar os sintomas de coriza e congestão nasal ou podem ser usados como tratamento preventivo, dependendo da medicação contida no sprays. São disponíveis em apresentações de spray nasal: descongestionantes, cromoglicato dissódico, anti-histamínicos e corticosteróides.

Descongestionante nasal em spray pode ser mais eficiente do que os descongestionantes orais para o alívio temporário da congestão e da coriza, mas eles são a solução por período muito curto. O uso freqüente de descongestionante tópico nasal pode piorar a rinite, além de provocar efeitos secundários importantes. Os descongestionantes podem interagir com outras medicações. Assim, somente use descongestionante nasal tópico se o seu médico recomendar para o tratamento de seus sintomas alérgicos.

Corticosteróides tópicos nasais são preparações antiinflamatórias efetivas para reduzir o edema, a coriza e a obstrução nasal, associadas com a rinite alérgica. Eles atuam pela diminuição da inflamação no nariz que pode se desenvolver como resultado de uma reação alérgica (ou não-alérgica). Os corticosteróides nasais são geralmente aplicados uma vez ao dia e seu uso deve ser iniciado ao primeiro sinal dos sintomas alérgicos ou, dependendo do caso, antes da estação polínica.

Cromoglicato dissódico em spray nasal bloqueia a liberação de histamina e outras substâncias associadas com a reação alérgica, diminuindo a inflamação local. Embora o cromoglicato possa ser uma medicação efetiva para tratar doenças alérgicas, ele demora algumas semanas para mostrar toda sua eficácia. Assim, somente seu médico pode lhe dizer se é uma medicação indicada para o seu caso.

Anti-histamínicos em spray nasal bloqueiam localmente a atividade da histamina, contribuindo para o controle dos sintomas da rinite alérgica.

Tópicos cutâneos

Algumas manifestações alérgicas devem ser tratadas com medicação tópica na pele, como os cremes de corticosteróides. Estas preparações podem ser valiosas no alívio de sintomas de dermatites por contato ou dermatite atópica. Corticosteróides reduzem a vermelhidão, edema e o prurido que são característicos das reações alérgicas cutâneas.

Para ajudar a aliviar esses sintomas, seu médico poderá prescrever um corticosteróide tópico em creme ou pomada para ser aplicada diretamente na superfície da pele.

Imunoterapia

Imunoterapia é uma forma de tratamento também conhecida como vacina para alergia. O tratamento deve ser feito durante vários meses durante os quais doses crescentes de um alérgeno, ao qual você demonstrou previamente ser sensível, são injetadas na região subcutânea do seu braço a intervalos regulares, semanais, quinzenais e, a seguir, mensais. O objetivo do tratamento é induzir tolerância ao alérgeno, o que pode determinar diminuição ou erradicação dos sintomas alérgicos.

A imunoterapia pode ajudá-lo se os seus sintomas são moderados ou muito intensos, duram vários meses, ou que são provocados por alérgenos difíceis para evitar como polens e ácaros domésticos. A imunoterapia também poderá ser indicada quando outras formas de tratamento não conseguiram controlar os seus sintomas.

Se você se considera um bom candidato para a imunoterapia, discuta as opções de tratamento com seu médico para determinar se esta é uma alternativa adequada para você.

A imunoterapia no caso de alergia a veneno de insetos, como abelhas, vespas, marimbondos e formigas apresenta grande eficácia na indução de tolerância aos venenos.

Adrenalina

Epinefrina (adrenalina) é vital no tratamento emergencial de anafilaxia, uma forma extremamente grave de reação alérgica. As causas mais comuns de anafilaxia são os alimentos (crustáceos, moluscos, amendoim), veneno de insetos, látex e algumas medicações.

Quando ocorre uma reação anafilática, a pessoa necessita receber uma injeção de adrenalina imediatamente para prevenir sintomas como a queda da pressão arterial ou obstrução respiratória, que podem ser fatais. Se você está em risco de uma reação anafilática, seu médico poderá lhe recomendar que você carregue medicamentos para tratar uma situação emergencial como esta.

última atualização: 18/03/2007

 
 
  Site Tratando Alergia - Um serviço Sanofi
Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 5.200 - Ed. Atlanta, Jardim Morumbi - São Paulo, SP - CEP: 05693-000
SAC: 0800.703 0014 (de 2a. à 6a. feira das 9 às 17 hs) | Termos de uso | Política de Privacidade

Copyright © 2003-2014 Sanofi. Todos os direitos reservados.